Você está aqui

PARA ALÉM DA PARTICIPAÇÃO: aprendizagem social na gestão de recursos hídricos

Tese de Doutorado – PROCAM-USP

A gestão dos recursos hídricos passou por profundas transformações ao longo dos últimos vinte anos. A crescente complexidade e interdependência dos problemas associados a demanda e oferta por água em quantidade e qualidade adequadas levou ao aumento de conflitos entre os atores sociais. A resposta institucional foi uma maior flexibilização das normas que regulam o uso dos recursos hídricos. Estas reformas promoveram especificamente a participação de um maior número de atores sociais nas questões relacionadas à água, garantindo-lhes também maior poder no planejamento, gestão e implementação de políticas públicas.

O expoente desta tendência é a União Européia através da promulgação da Diretiva Européia para a Água. Entretanto, maior participação é o primeiro passo para uma gestão mais solidária e sustentável da água. Mais do que participação, é a capacidade de aprender com o outro que amplia a possibilidade de soluções sustentáveis. Nesta pesquisa analisamos os fatores e condições que transformam os espaços de participação em processos de aprendizagem social, onde atores sociais modificam suas percepções e práticas sobre a água promovendo uma gestão mais sustentável. Como exemplo, foram analisados dois estudos de caso – um na Bélgica e outro no Reino Unido – onde foi promovida a implementação da Diretiva Européia para a Água. Estes estudos de caso revelam que práticas de gestão participativa não evoluem necessariamente para processos de aprendizagem social sendo que liderança, facilitação profissional e a forma como se estabelecem as relações entre Estado e Sociedade exercem um papel importante na promoção dessas mudanças.

Palavras-chave: aprendizagem social, gestão de recursos hídricos, participação

Autor: Fernando Monteiro da Cunha

Trabalho disponível no Biblioteca de teses da USP:

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/90/90131/tde-17062011-172722/