Você está aqui

Resíduos Sólidos

A verdade sobre os “piratas” da Somália. Saiba quem realmente são os piratas

Um documentário imperdível sobre o badalado assunto da pirataria nas águas internacionais da Somália (leste da África). A imprensa internacional tem ocultado as motivações e a realidade dos fatos noticiados. Antes disso, trata de criar versões mentirosas e distorcidas sobre um país que vive há anos em pleno “estado de natureza”, numa insólita situação hobbesiana, sem governo estabelecido, em guerra civil permanente, fome generalizada, centenas de milhares de refugiados, guerra de raças, etc.

Modelo Tecnológico e de Gestão para Manejo de Resíduos Sólidos

Os municípios brasileiros, responsáveis pela prestação dos serviços de limpeza urbana e de manejo de resíduos sólidos tem um importante desafio: melhorar sua capacidade institucional e operacional para a  gestão dos serviços e atender as novas responsabilidades estabelecidas  na Lei Federal de Saneamento Básico (Lei nº 11.445/2007) e na Política  Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei nº 12.305/2010). Com base nesse novo marco legal, os municípios são responsáveis por alcançar a universalização dos serviços de limpeza urbana e de manejo de

Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade

O presente trabalho aborda o cenário brasilero, da Região Metropolitana de São Paulo e da cidade de São Paulo em relação à gestão integrada e sustentável de resíduos sólidos urbanos, apontando os principais avanços, retrocessos e desafios. Destaca-se o importante papel da universalização da coleta seletiva com inclusão de catadores de materiais recicláveis na cidade de São Paulo como estratégia para promover sustentabilidade socioambiental urbana.

Programas Municipais de Coleta Seletiva em Parceria com Organizações de Catadores na Região Metropolitana de São Paulo

Este texto apresenta resultados de pesquisa comparativa sobre os programas municipais de coleta seletiva de lixo desenvolvidos em parcerias com organizações de catadores de materiais recicláveis, a fim de verificar os seus impactos socioeconômicos, sanitários e ambientais e sua sustentabilidade nos sistemas públicos de saneamento ambiental na Região Metropolitana de São Paulo- RMSP.

Panorama da coleta seletiva no Brasil – desafios e perspectivas a partir de 3 estudos de caso

Apenas 451(8,2%) municípios brasileiros desenvolvem programas de coleta seletiva. Este artigo apresenta um panorama destes programas e enfatiza as iniciativas em parceria com catadores organizados que consiste numa política pública inovadora de gestão de resíduos sólidos com inclusão social.

Os desafios da gestão compartilhada de resíduos sólidos face à lógica do mercado

Os programas de gestão compartilhada de resíduos sólidos enfrentam hoje alguns desafios que dificilmente poderiam ser previstos há alguns anos. Estas iniciativas de parcerias entre governos municipais e cooperativas/associações de catadores de materiais recicláveis, concebidas visando a eficiência dos programas de coleta seletiva de lixo e a valorização do trabalho realizado por grupos organizados de catadores, defrontam-se com uma redução significativa na quantidade e na qualidade de resíduos coletados.

Gestão de resíduos sólidos na Região Metropolitana de São Paulo: Avanços e Desafios

O artigo apresenta resultados empíricos de pesquisa concluída em 2005 sobre os programas municipais de coleta seletiva desenvolvidos em parceria com organizações de catadores de materiais recicláveis na RMSP, no contexto da problemática da gestão de resíduos sólidos urbanos no Brasil.

Construção de Indicadores de Sustentabilidade para Programas Municipais de Coletiva Seletiva e Organizações de Catadores

No Brasil, segundo o IBGE (2000), apenas 451 (8,2%), dos 5.507 municípios brasileiros possuíam programas de coleta seletiva de recicláveis, sendo 50% destes desenvolvidos em parceria com catadores organizados.

Páginas

Subscrever RSS - Resíduos Sólidos